18 de fevereiro de 2012

A prosódia da nossa felicidade e o carnaval

É carnaval no Brasil. E também no resto do mundo cristão, claro. O carnaval, que é de origem grega, mas foi apropriado pela igreja católica, tem a festa no DNA.
Eu não gosto de folia e nem de “pular o carnaval” (e nem de futebol, e nem sei sambar, assim como milhares e milhares de brasileiros espalhados pelo Brasil e pelo mundo. Ora, e por acaso era de se supor que num país com mais de 192 milhões de pessoas, todo mundo amasse carnaval, soubesse sambar e vibrasse com o futebol?!). Mas verdade seja dita, o carnaval do Brasil é dos mais famosos do mundo. Bom para aqueles tantos outros milhares que gostam e sabem aproveitar a grande ilusão do carnaval... “a gente trabalha o ano inteiro, por um momento de sonho para fazer a fantasia de rei ou pirata ou jardineira. Para tudo se acabar na quarta-feira”.
Mas eu não queria falar de carnaval, nem de estereótipos, ilusões ou coisas chatas. Queria falar era de música. No disco As Cidades (ao vivo), Chico Buarque, ao apresentar os músicos que o acompanhavam, diz que a razão pela qual ele se alegra e se orgulha de ter nascido no Brasil é a música. Eu também. Orgulho-me desta nossa rica música que ensina o mundo a cantar a saudade e a felicidade em português, com o ritmo, a melodia e a prosódia que somente um país com a diversidade cultural que temos poderia produzir.
E lá vou eu para o meu carnaval. Vou entrar no bloco do eu sozinho com a minha fantasia de homem invisível e aproveitar estes dias para ler, descansar, ver filmes e ouvir a nossa boa música. E esta é a minha playlist, com versões lindamente interpretadas das nossas canções.



Beirut | Leãozinho

Amy Winehouse | The girl from Ipanema

Diana Krall | Este seu olhar

Miriam Makeba | Mas que nada

 
Ella Fitzgerald | One note samba

Sarah Vaughan | Wave

Frank Sinatra | Desafinado


Enviar um comentário