11 de dezembro de 2011

We can all be free

Nada nesta casa me pertence. Aqui não há nada que seja meu. E nem deve haver, já que eu vou e o mundo fica. O meu corpo fica. Tudo fica. O que eu sei fica. E isto tem que me libertar, não me aprisionar. A minha vida não me fez refém, me fez livre para encarar o mundo com  a coragem de quem não tem nada a perder.

2 comentários:

catarina disse...

it had to be a cat power ;-)

wigvan disse...

Incrível essa sensação de (re)descobrir que não temos nada a perder além do medo. =)